MOVIMENTO DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DE TEFÉ

MOVIMENTO DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DE TEFÉ
“A Face do Movimento Estudantil”

FORÇA E LUTA - A CAMINHADA COMEÇOU!

Como os jovens estudantes de Tefé eu me posicionei em alguns atos públicos e de visibilidade, contra a arbitrariedade da ditadura na universidade que estudo. Eu me sinto parte da transformação e mudança deste modelo autoritário, uma barreira democrática de produção e circulação de conhecimento. Na UEA votaremos na eleição de Diretor, participaremos das reuniões do Conselho Universitário e temos espaços assegurados para as atividades do Diretórios e Centros Acadêmicos. Vejo está em desacordo a oposição de alguns docentes em tomar medidas persecutórias (devoradora do estágio oral) aos estudantes que se manifestaram durante a Assembleia. Uma posição colaborativa e democrática não mediria esforços pelo caminho que é muitas vezes o mais difícil, o do diálogo e da construção política. É importante reconhecer o direito que os estudantes e os cidadãos têm de discutir o modelo adequado para a Universidade que representa o sonho e o futuro de muitas pessoas que moram em Tefé e municípios próximos.

Muitos de nós participou com maior ou menor intensidade no movimento estudantil. O movimento estudantil tem uma história de contribuição para nossa democracia e para a formação de importantes lideranças. Muitos desses estão nas instituições de ensino superior ou com seus próprios negócios. O movimento estudantil deve ser estimulado e ser parte da vida social acadêmica e política de qualquer processo de formação educacional. Se perdermos essa noção básica da democracia estaremos “castrando” a capacidade de criticar e sentir-se parte da construção da cidadania universitária. Pior, estaremos, na prática, violentando o passado de muitos daqueles que lutaram pelo restabelecimento da democracia e pela educação pública e gratuita de qualidade.

A Assembleia ocorrida no dia vinte oito de julho de dois mil e onze, é a prova viva de que se faz necessário a luta pela restauração da dignidade e de direitos. É através deste evento Maior, que se busca o solucionamento das problemáticas em prol da harmonização, e consequentemente a elevação da qualidade do ensino superior, concretizando pautas de discussão, colaboradas por todos os cursos de licenciatura do Centro de Estudos Superiores de Tefé, mas precisamente de início e iniciativa, de nós acadêmicos que passamos por dificuldades desnecessárias.

Sabemos que existem mãos conservadoras invisíveis que tentam nos reduzir rotulando o evento “como grupo de baderneiros” todos os acadêmicos participantes, mas digo que não se calarão diante da intolerância e perseguição estudantil. Chega de comodismo, Educação não é só se enfurnar em uma sala de aula, quem sabe vamos as Ruas e às Rádios convocar todas pessoas que já se cansaram de ser enganados e calados. Todos estão convidados para participar da construção de uma universidade que atenda os anseios da nossa região. Nesta semana as lideranças dos acadêmicos irão discutir sobre os caminhos de uma universidade mais democrática. Aos que pensam que “politizar-se não adianta de nada”, não sabem que se discurso é o reflexo do seu presente. E os mesmos não sabem que a custa da sua ignorância é que se sustenta a corrupção, tráfico, a violência e impunidade. Vamos a Luta Universitários, nossa identidade é o Movimento Estudantil!