Denúncia: Hospital Regional de Tefé no Amazonas e a falta de higiene nos quartos e banheiros da Maternidade

Denúncia: Hospital Regional de Tefé no Amazonas e a falta de higiene nos quartos e banheiros da Maternidade
Fonte: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2011/05/490674.shtml (COM IMAGENS IMRRESSIONANTES)

O município de Tefé é geograficamente localizado no centro do mapa do Amazonas, possuindo uma população de quase 70 mil habitantes, onde o governo construiu há anos um hospital para atender a cidade e interior. Para minha experiência pude testemunhar a grande falta de higiene, em vários locais do prédio utilizado como hospital regional, e me chamou muita atenção um fato que já não surpreende mais as pessoas que estão lá e as que frequentam o prédio.

Os quartos e banheiros do hospital, não são continuamente limpos, como mostra a foto, durante a chuva, quartos são alagados e nas sua paredes existem sinais de infiltração por água e gerando acumulos de fungos e musgos.

Foto do Quarto de Pré-Parto Alagado

No caso dos banheiros podemos visualizar, a não higienização dos vasos sanitários, pias, chuveiros, que estão completamente contaminados, percebe-se pelas fotos a exposição de sujeiras do ralo em aberto. Não sei quantas leis estão sendo desrespeitadas por esse descaso, e é difícil aceitar o uso de quartos e camas sem a limpeza e troca de lençóis; inclusive o lençol que eu acabara de usar, era retirado e colocado em outra cama de outro quarto, isto é, se eu tivesse alguma doença dermatológica seria uma epidemia se espalhando pela contaminação desses cobertores e colchões.

Quero atentar para essa denúncia, que derespeita e traz um sofrimento nas grávidas que estão frequentemente esperando em leitos, para nasciment de seus filhos em locais imundos, como foi o caso de minha esposa emuitas outras, tiverram que esperar quase meia hora para eles limparem um local de exame de toque, que sempre deve estar limpo, ao contrário disso, resta as fezes de outrem ainda estavam evidentes no equipamento utilizado.

Repare na foto, o que envolve este equipamento são sacos plásticos de lixo hospitalar, um atentado contra as gestantes que deitam nisso.

E depois de muito tempo minha esposa foi atendida, e meu filho quase morre por esperar muito tempo para nascer, causando desespero nas parteiras daquela noite, pois meu filhinho estava todo inchado e roxo pela falta de ar, realizando elas intensa massagem corpórea até que minutos depois, eu podia chorar alegre pelo filho guerreiro que conseguir sobreviver, espelindo o que chegou a engolir em grande quantidade, o líquido aminiótico, o parto foi bastante revoltante.

Cito também as camas, pois elas estão contaminando os recém-nascidos com doenças na pele por conta de parasitas e coceiras severas chamadas de ?curuba?. Denuncio esta contaminação hospitalar, que já é bem familiar e sempre alguém tem algo a falar negativamente, sobre o atendimento também nas reclamações do local em que você é posto e exposto. Exemplo disso são as parteiras de índole má, que durante as dores do pré-parto ficam hostizando as futuras mães, contrariando negativamente qualquer tipo de comunicação ou pedido de toque (procedimento), para ver os centímetros necessários que faltariam para realizar o parrto. E com ar de despreso na maioria das vezes fingem-se de surdas.

Ainda, outra situação são o gotejamento pelos fôrros do teto, que são plásticos e não estão resistindo as chuvas que ultrapassam o telhado, e mesmo assim não se resolve esta problemática, aumentando o nível de insegurança, contaminação por bactérias, e restos de fezes de animais como morcegos. E as paredes quebradas e sua falta de finalização, ficando buracos que por sua vez, se tornará agregados de fungos e bactérias.

O índice de inresponsabiliade é óbvio e visual, não temos qualquer previsão de mudança, pois depende de vontade política. E por medo de novas denúncias, existem por toda parte do hospital, cartaz de proibição de máquinas fotográficas digitais ou filmadoras. E como a verdade deve aparecer a vista de todos, publico este texto e fotos internas do hospital, como forma de indignação e protesto contra as vítimas maiores que ão os pacientes e principalmente as gestantes.

Um equipamento de uso para o exame de toque, pela foto logo se vê as intensas ferrugens, e outro para o parto propriamente dito, na sala ao lado, estava com forte odor de insetos, sendo que estes, também são visiveis ao olho nas janelas com persianas sujas, durante as visitas das gestantes, percebe-se o olhar discriminatório de que presencia tanta imundiçe num prédio só.

Se houver algum tipo de vistoria, facilmente irá se detectado todos os sinais bservados por mim, desde que seja feito minuciosamente, e sem qualquer tipo de aviso, é claro que isso pode ocorrer, qualquer diretor de hospital odiaria ser apontado como negligente frente as denúncias deste tipo, podendo perder o cargo ou CRM, e espero que o impacto dos fatos sem fortes o suficiente, para haver intervenção nas estruturas e espaços nojetos, destinados aos cidadãos.

Não há qualquer respeito para quem precisa de ajuda hospitalar, no HOSPITAL REGIONAL DE TEFÉ, NO MUNICÍPIO DE TEFÉ ? AMAZONAS.

Denucio e denunciarei até que algo seja feito, e que a justiça possa se tornar realidade.