Primeiro dia do Mini – Curso de Comunicação Popular (08 de Abril de 2010)


Foto: Sérgio Luíz

Aqui vai um relato das atividades acontecidas no primeiro dia (08 de Abril de 2010) do Mini Curso de Comunicação Popular, realizado no auditório da Escola Estadual Gilberto Mestrinho. Primeiramente vale ressaltar a grande chuva que caiu na cidade de Tefé agora pela parte da noite. O fenômeno meteorológico atrapalhou bastante o inicio das atividades que foram marcadas para as 19:00h, no entanto foram iniciadas somente as 19:30h . Ainda assim o curso contou com a participação de cerca de 50 pessoas, sendo esses acadêmicos e professores da Universidade do Estado do Amazonas - UEA, representantes do movimento indígena (etnia Kocama), da Colônia de pescadores da cidade de Tefé, dos movimentos de Hip Hop e Punk.

A abertura do evento foi realizada pelo professor do colegiado de pedagogia da UEA Feliciano Parente que comentou a importância da atividade para os movimentos sócias e para a comunidade acadêmica. Dando prosseguimento à programação foi realizada uma dinâmica de apresentação dos participantes, nela todos falam os seus nomes e intuições ou grupos de origem. Terminada essa fase foram iniciadas as falas dos palestrantes, sendo iniciada por Pedro Pontes com as temáticas de caráter introdutórias: o que é a comunicação?, A comunicação popular e a história social do Rádio (rádios sociedades, comerciais e a influencia econômica e política na informação).

Em seguida foi exibido o filme documentário “Hip Hop com dendê” com 15 minutos de duração. O filme tem em sua ficha técnica produção e direção por Fabíola Aquino. Através de sua sinopse é possível identificar a relação com o tema em debate no curso: “O Hip Hop aporta em Salvador e se torna em uma forma de movimento de valorização negra e contra-cultura. Reflexo do movimento que ganha milhares de adeptos no mundo, o hip hop chega à Bahia e conquista grande parte da sua juventude periférica que mistura os elementos – grafite, break, rap, DJ, MC e o "pensamento" –com as expressões artísticas locais. Juntos descobrem formas alternativas de se comunicar e falar para aos seus, por meio de rádios comunitárias, jornal comunitário, internet e em especial o boca-a-boca. No elenco do documentário de curta metragem Hip Hop com dendê estão: MV Bill, DJ Branco – CMA Hip Hop/Rede Aiyê Hip Hop, DJ Bandido – Quilombo Vivo, Gey Espinheira – Sociólogo, Hamilton Borges - Movimento Negro Unificado, Mario Sartorello – Radialista, Ricardo Andrade - Jornal Folha Popular/PCE, Paulo Rogério - Instituto de Mídia Étnica entre outros.” Ao fim do filme um debate foi realizado entre os participantes que ressaltaram a criatividade do movimento para divulgar as suas idéias.

Dando prosseguimento às atividades, o palestrante Sérgio Luiz que abordou as seguintes temáticas: Rádios Livre, Rádios Comunitárias e introdução ao Centro de Mídia Independente. Em sua apresentação foi destacado o caráter livre e democrático das rádios livre, sua forma de organização e de financiamento. Além também da internet como precioso meio de difusão de informação para o mundo.

Ao final das atividades todo o conteúdo apresentado durante o curso foi convergido em um debate bastante instrutivo, com a participação dos palestrantes, cursantes e professores da UEA presentes.

Re-publicação

Publiquei esse relato no site do Coletivo de Comunicadores Populares (de Campinas-SP):

http://camaracom.com.br/coletivo/?p=1549

Valeu!

2010 a todo Vapor!!!!

Olha é muitoimportante as pessoas saberem mais sobre esta rádio, pois a comunicação é inprescendível para a trasformação social, cidadãos mais críticos e organizados, cada vez mais aparecerão, novos voluntários para novas formas de dominação.

Força!
É nóis!!!