Diretor de Avatar diz que Belo Monte 'vai destruir a vida das populações ribeirinhas' - 28/03/2010

Local: São Paulo - SP
Fonte: Amazonia.org.br
Link: http://www.amazonia.org.br

O cineasta e diretor do filme Avatar, James Cameron, que esteve presente no Fórum Internacional de Sustentabilidade, realizado em Manaus (AM), fez um apelo ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva com relação à construção da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA). "A barragem vai destruir a vida das populações ribeirinhas. Eles são povos ameaçados como os Navi, mas não têm aquelas criaturas aladas para ajudar na luta", disse. As informações são da Agência Estado.

Cameron sobrevoou a floresta dos arredores de Manaus até o complexo de Anavilhanas e ficou maravilhadom, mas descartou deixar os estúdios para filmar dentro da mata. No seu discurso durante o Fórum, o cineasta se mostrou engajado na defesa do meio-ambiente e disse querer ver seu filme mais recente como um ícone de defesa às florestas. "Avatar não é uma condenação à humanidade, mas um convite à ação".

Para ele, as mortes no Haiti não foram nada frente ao que vai acontecer com as mudanças climáticas nos próximos anos. "Só com os dois graus a mais na temperatura que o IPCC apontou para este século há pelo menos 42 espécies de plantas na Amazônia que não iriam sobreviver, além de comunidades ribeirinhas que devem desaparecer com a água dos rios de volume aumentado pelo degelo", destacou.

Cameron elogiou a gestão do governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), segundo ele, o administrador do Estado brasileiro coma a floresta mais preservada. "Não conheço nenhum outro lugar como o Brasil, onde o governo e as indústrias tenham essa preocupação ambiental, que é ainda maior no Amazonas".

Porém, o cineasta acredita que os países industrializados é que deveriam se mobilizar para financiar a floresta em pé.

Segundo o diretor, Avatar é seu filme mais pessoal. "Não fiz o filme para ganhar dinheiro, mas por algum motivo se tornou o filme mais visto da história. E acho que o sucesso significa que as pessoas estão despertando para este perigo".

Ele também fez analogias com símbolos dos seus filmes Avatar e Titanic. "Será que não estamos entre aqueles noventa segundos em que o marinheiro avista o iceberg e o desastre? E esse desastre vai atingir a todos porque precisamos ter claro que quando Titanic afundou a primeira e a quarta classe foram para o fundo".